Blog

Blog >> 7 motivos para você investir em previdência privada

7 motivos para você investir em previdência privada

Entre tantas opções disponíveis no mercado, é comum que se tenha dúvidas sobre investir em previdência privada.

A maioria das pessoas associa os planos de previdência somente às reservas para a aposentadoria. E não é para menos pois, com a Reforma da Previdência, ficou mais longe a ideia de se aposentar. No entanto, esse tipo de investimento pode trazer benefícios em diversas outras situações.

Pensando nisso, preparamos esse conteúdo com sete motivos que consideramos importantes para você pensar em uma previdência privada. Para tirar as suas dúvidas e decidir se esse investimento é ideal para você, continue a leitura a seguir!

7 motivos para investir em previdência privada

1 – Investir em previdência privada é uma ótima forma de planejamento financeiro

Se você é do tipo que tem dificuldade para organizar as finanças e começar a investir, um plano de previdência pode lhe ajudar. Nesse sentido, você pode programar débitos mensais na conta, ou mesmo optar por boletos bancários. Ambas as formas lhe auxiliarão a ter disciplina para fazer sobrar um valor todos os meses.

Além disso, ao contrário do que muitos pensam, investir em previdência privada não serve somente para a aposentadoria. Por exemplo, se você tiver um objetivo de médio prazo (como uma viagem para daqui a alguns anos, por exemplo), pode perfeitamente usar um plano de previdência para fazer as suas reservas. Nesse caso, o plano ideal seria um VGBL, por causa da tributação somente sobre os rendimentos, conforme veremos no próximo item.

2 – Você pode ter benefícios fiscais ao investir em previdência privada

Para entender como funcionam os benefícios fiscais, é preciso saber que existem dois tipos de planos de previdência privada: o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL.

O PGBL é a modalidade indicada para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda e possui despesas dedutíveis. Nesse caso, gastos com dependentes, saúde, educação, entre outros, podem ser lançados como dedução até 12% do rendimento tributável do ano.

Já quem faz a declaração pelo modelo simplificado optar pelo VGBL. Diferentemente do PGBL, essa modalidade não permite dedução de despesas. No entanto, no VGBL o tributo incide somente sobre os rendimentos, e não sobre o montante total aplicado, como no caso do PGBL.

3 – Dá para ter mais de um tipo de previdência privada

Ainda em relação aos benefícios fiscais, é bastante comum as pessoas terem PGBL e VGBL simultaneamente.

Quanto iniciamos a vida profissional, normalmente nossos salários são mais baixos e ainda não temos dependentes nem muitas despesas dedutíveis. Dessa forma, o VGBL acaba sendo a melhor alternativa. Com o passar do tempo, a renda tende a aumentar. Logo, já é interessante fazer contas para ver o que podemos deduzir de IR. Nesse caso, para aproveitar o benefício fiscal, o contribuinte pode (e deve) contratar um segundo plano de previdência privada.

A situação oposta também pode ocorrer. Digamos que você tenha um PGBL, mas ultrapassou o limite de 12% permitido para isenções. Se isso acontecer, será vantajoso contratar um VGBL para aplicar o excedente. Assim, o IR incidirá somente sobre os rendimentos, e não sobre o montante total investido.

4 – Você é quem define o valor dos aportes mensais

Aquela história de que “nunca sobra” não se aplica quando falamos em investir em previdência privada. Isso porque você tem total liberdade para contratar um plano com mensalidades que cabem no seu bolso.

Além disso, os planos de previdência são flexíveis em relação aos aportes mensais. Ou seja, a qualquer momento você pode conversar com o seu gerente e alterar os valores das contribuições.

5 – Você é quem define como quer resgatar o investimento

Outra flexibilidade de investir em previdência privada é definir como você deseja receber o seu dinheiro.

Digamos que o seu objetivo seja formar reservas para um plano de médio prazo. Nesse caso, você estabelecerá uma data para o resgate do capital investido no futuro. Simples assim.

Porém, se a sua ideia for investir em previdência para ter uma renda na aposentadoria, há diferentes formas de se fazer isso. Por exemplo, você pode contratar uma renda mensal vitalícia. Isso significa que, a partir da data da concessão do benefício, receberá uma renda mensal pelo resto da vida.

Existe ainda a opção de essa renda vitalícia ser reversível ao cônjuge ou dependentes. Ou seja, se você vier a falecer, a renda contratada (ou parte dela), irá para quem você determinar em contrato.

Outra alternativa ainda é contratar uma renda mensal temporária. Nessa situação, você determinará um período pelo qual deseja receber os recursos.

Essas são apenas algumas das formas que você tem de receber o dinheiro investido na previdência. Há diversas outras opções, para cada perfil de investidor e situação de vida.

6 – Investir em previdência privada também auxilia no planejamento sucessório

Talvez você ainda não esteja pensando na sua sucessão patrimonial. Afinal, esse realmente não é um assunto agradável. Porém, é muito importante pensar nisso desde cedo, principalmente se você tiver dependentes.

Embora a maioria das pessoas lembre de investir em previdência privada para aposentadoria, ela é útil também para o planejamento sucessório. Independentemente do tamanho do patrimônio, um processo sucessório sempre tem custos. Nesse sentido, a vantagem da previdência privada é que os valores investidos em previdência não precisam passar por inventário. Logo, os herdeiros podem sacar esses recursos a qualquer tempo. Com isso, conseguem custear as despesas do processo de forma mais fácil e rápida.

7 – Você pode mudar o seu plano para outra instituição gratuitamente

Digamos que você tenha contratado um plano de previdência, mas depois encontrou melhores condições em outra instituição financeira. Nesse caso, poderá fazer gratuitamente a portabilidade do seu plano para onde desejar.

Em outras palavras, você não precisará resgatar o investimento e pagar impostos para mudar de instituição.

para o seu plano de previdência, poderá a portabilidade gratuitamente. Ou seja, não é preciso liquidar o investimento e pagar impostos para contratar um novo plano. Essa facilidade é mais uma vantagem de investir em previdência privada, pois você não precisa ficar refém de condições desfavoráveis.

O que mais você gostaria de saber sobre previdência privada, ou sobre outros investimentos para a aposentadoria? Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba mais conteúdos como esses!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Casal de idosos em um banco
Blog Terra Investimentos

Posts Relacionados