Assine e receba nossos artigos Assinar

Seja você um investidor iniciante e conservador ou experiente e arrojado, os fundos são uma ótima alternativa para quem valoriza facilidade, praticidade e diversificação.

Se você quer investir e não sabe por onde começar, ou ainda, se você vive correndo e não tem muito tempo para se dedicar aos investimentos, os fundos podem ser um dos melhores caminhos para fazer mais pelo seu dinheiro.

Neste post, vamos abordar as principais vantagens deste tipo de aplicação, destacaremos a importância da diversificação com exemplos práticos e mostraremos os principais tipos de fundos para investir no momento.

Conforme explicamos neste outro post, fundos de investimento funcionam como um condomínio, onde as pessoas têm cotas proporcionais ao valor de seus investimentos, pagando uma taxa de administração pelo serviço. Em contrapartida, o investidor conta com diversas vantagens. Vamos conhecê-las a seguir!

A forma mais fácil de investir

Uma das principais características dos fundos é a facilidade de investir sem você precisar acompanhar o mercado o tempo todo.

Isto é possível porque os fundos contam com um gestor profissional qualificado e autorizado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para administrar seus recursos, além de toda uma equipe de análise trabalhando em conjunto.

Devido a esta praticidade, os fundos também são ideais para quem não tem tempo de monitorar os investimentos frequentemente.

Outro benefício é ser acessível e democrático, já que é possível aplicar nos melhores fundos do mercado a partir de baixos valores. Além disto, os fundos proporcionam possibilidade de diversificação pelos seguintes motivos:

  • Há fundos para todos os perfis de investidor: conservador, moderado e arrojado.
  • Há fundos de renda fixa, renda variável ou híbridos.
  • Há fundos para todos os objetivos - curto, médio e longo prazo - e para todas as necessidades de liquidez (prazos para resgate).
  • Há fundos que abrangem vários setores da economia e todos os cenários econômicos. Desta forma, fica bem mais simples diversificar os investimento.

Importância da diversificação

Um dos mandamentos mais conhecidos e importantes na hora de investir é:

“Não coloque todos os ovos no mesmo cesto.”

Ou seja, quando o assunto é investimento, diversificar onde você aplica seu dinheiro também significa diversificar o inerente risco de cada tipo de aplicação. Em outras palavras: quanto mais você diversificar, mais protegido estará.

Neste sentido, é importante acompanhar oportunidades de descorrelação do investimento. Disponíveis na plataforma da Terra Investimentos, os fundos OCCAM FI CAMBIAL e o ORAMA OURO FIM, por exemplo, demonstram como esta proteção acontece na prática:

"Do início do ano até o auge da crise (23/03/2020), por exemplo, enquanto o Ibovespa teve queda de -45,03%, o OCCAM FI CAMBIAL teve alta de +27,79% e o ORAMA OURO FIM valorizou +25,87%. Agora considerando o período de janeiro a setembro, enquanto Ibovespa caiu -18,20%, as rentabilidades dos fundos foram ainda mais expressivas: ORAMA OURO subiu 61,75% e o OCCAM FI CAMBIAL teve alta de +40,01%", explica Rodolfo Ribeiro, coordenador de distribuição de produtos da Terra Investimentos. 

Agora que ficou claro como a diversificação é essencial para ter uma carteira balanceada, vamos conhecer alguns dos principais tipos de fundos de investimento.

Fundos Multimercado

Como o próprio nome diz, este tipo de fundo faz investimentos em diversos mercados, como renda fixa, ações, câmbio, juros, commodities, mercado internacional, entre outros, conforme a estratégia escolhida pelo gestor.

Nesta modalidade, não existe restrição em relação ao tipo de ativo que compõe a carteira. Essa característica faz com que os fundos multimercado sejam os que possuem uma maior variedade de investimentos quando comparados a outros fundos. Ou seja, é uma excelente opção para quem busca diversificação de forma prática.

Fundos de Ações

Indicado para objetivos a longo prazo, este é um tipo de fundo atrelado ao mercado de renda variável, sendo uma forma mais fácil de investir em ações, já que você conta com uma gestão profissional.

Para que um fundo seja considerado como de ações é exigido que, no mínimo, 67% dos ativos que compõem a carteira sejam ações.

Fundos Cambiais

Este tipo de fundo faz aplicações baseadas em moedas estrangeiras, visando manter o poder de compra ou acompanhar a variação da moeda. Neste caso, a predominância da carteira é em ativos relacionados a outras moedas.

Em outras palavras, trata-se de um tipo de aplicação que pode funcionar bem como uma proteção em relação às variações cambiais, por exemplo. Entre os mais conhecidos estão o Fundo Cambial de Dólar e de Euro.

Fundos de Ouro

Os fundos de ouro são investimentos ideais para o longo prazo, sendo historicamente valorizados em períodos de temor nos mercados e aversão ao risco. Em uma Carteira, eles oferecem diversas vantagens ao proteger o patrimônio de perdas provocadas por crises, oscilações e inflação.

Assim como o fundo cambial, este tipo de fundo representa uma oportunidade de descorrelação de investimento, principalmente em relação ao mercado de ações.

Fundos de Previdência

Também chamado de plano de previdência complementar, este tipo de fundo é gerido por uma empresa privada que permite ao investidor planejar sua aposentadoria. Geralmente procurado por quem não deseja limitar seus ganhos à aposentaria da Previdência Pública, este fundo funciona em duas fases: acumulação de recursos e recebimento de benefícios.

Ao contratar um plano de previdência privada, o investidor deverá escolher entre o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Para conhecer todos os detalhes e prós e contras de cada tipo, vale contar com a orientação de seu assessor de investimentos.

Fundos de Renda Fixa

São fundos que investem em uma carteira composta por diversos produtos de renda fixa, como títulos públicos e privados, CDBs, entre outros.

Os fundos de renda fixa devem ser compostos por, no mínimo, 80% do seu patrimônio aplicado em ativos de renda fixa, sejam eles pré ou pós-fixados, deixando o restante do patrimônio livre para ser aplicado em outros tipos de papéis.

Fundos Referenciados

São fundos que têm seu objetivo de rendimento ligado a um indicador específico que é usado como parâmetro. É o caso, por exemplo, dos Fundos DI que são atrelados à taxa do CDI e contam com aplicações majoritariamente em títulos públicos atrelados à taxa Selic.

Fundos Imobiliários

Conhecido como FII (Fundo de Investimento Imobiliário), este tipo de fundo permite a aplicação em ativos do mercado imobiliário por meio de cotas.

Através da aquisição delas, é possível investir em empreendimentos como escritórios corporativos, hotéis, hospitais, shopping centers, entre outros imóveis comerciais e residenciais, urbanos e rurais, construídos ou em construção.

Os Fundos de Investimentos Imobiliários fazem parte da categoria “renda variável”, sendo negociados na Bolsa de forma similar à compra de ações.

Conte com nossa assessoria de investimento

Para conhecer melhor as particularidades e vantagens de cada tipo de fundo, contar com um assessor de investimentos ajudará você a fazer escolhas com assertividade e tranquilidade.

Abra sua conta sem custo e em poucos instantes na Terra Investimentos e comprove porque nossa assessoria faz toda a diferença na hora de montar sua carteira. Vamos juntos!

Comentários

Últimos posts

Terra Investimentos

Sobre a Terra Investimentos

Com duas décadas de história, a Terra Investimentos conquistou a liderança no mercado agro e expandiu sua atuação no mercado financeiro e de capitais.

Atuamos na intermediação, negociação, originação e distribuição de produtos de renda fixa, renda variável, títulos públicos e privados, fundos de investimentos, derivativos, serviços fiduciários, assessoria de investimento, câmbio, seguros e previdência, HFT (High Frequency Trading), entre outros voltados a pessoas físicas e clientes institucionais.

Assine nossa newsletter