Blog

Blog >> Conheça os principais índices da bolsa brasileira

Conheça os principais índices da bolsa brasileira

Aqui no blog, a gente já falou sobre análise fundamentalista, tipos de ações mais adequados para determinados momentos, e diversos outros assuntos que lhe ajudam a montar uma boa carteira de ações. Porém, para fazer boas escolhas, é importante também conhecer os principais índices da bolsa brasileira.

Portanto, se você já investe em ações, ou pensa em dar os primeiros passos no mercado de capitais, continue a leitura e conheça alguns dos principais índices de ações de nossa bolsa.

Ibovespa

O Ibovespa é o principal índice da bolsa de valores brasileira. Ele engloba as empresas mais relevantes do mercado acionário do Brasil, responsáveis por cerca de 80% do volume total de negociação de ações.

Para que possam fazer parte do Ibovespa, as companhias precisam atender a cinco critérios básicos:

– suas ações não podem ser penny stock, ou seja, valerem menos de R$ 1,00;

– a empresa precisa ter participado de, no mínimo, 95% dos pregões nos últimos 12 meses;

– as ações devem estar entre os ativos que representem 85% de Índice de Negociabilidade (IN) no período de um ano;

– o volume financeiro das ações deve ter sido de, no mínimo, 0,1% do mercado à vista nos últimos 12 meses e

– não podem fazer parte do Ibovespa ações de empresas em recuperação judicial ou extrajudicial, intervenção ou regime especial de administração temporária.

A cada quatro meses ocorre uma revisão do Ibovespa. Dessa forma, se alguma empresa deixa de cumprir os requisitos acima, é excluída do índice. Ao passo que outras companhias que se enquadrem passam a compô-lo.

IBrX (Índice Brasil)

Da mesma forma que o Ibovespa, o IBrX leva em conta a liquidez das ações e o volume negociado. No entanto, esse índice é mais específico do que o anterior, pois considera também o valor de mercado das companhias. Isso significa que o peso da empresa no IBrX é diretamente relacionado ao seu valor de mercado.

Existem ainda duas subdivisões desse índice: o IBrX-100 e o IBrX-50. Cada número se refere a quantas empresas o índice representa. Assim como o Ibovespa, o IBrX e seus derivados passam por revisões a cada quatro meses.

ITAG (Índice de Ações com Tag Along Diferenciado)

O acionista minoritário conta com a proteção de um mecanismo legal chamado Tag Along. Esse mecanismo garante que, se a empresa da qual o minoritário possui ações for comprada, novo dono deverá lhe pagar, no mínimo, 80% do valor que ele pagou pelas ações.

Daí surgiu o índice ITAG, que mede o desempenho das companhias listadas na B3 que oferecem as melhores condições para os acionistas minoritários. Nesse sentido, o principal critério para uma empresa participar do índice é ter um Tag Along superior a 80% em seu regulamento.

IGC (Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada)

O IGC apresenta o desempenho médio das companhias listadas na bolsa que, teoricamente, possuem as melhores práticas de governança.

Por sua vez, a governança corporativa engloba tudo o que diz respeito a sócios, diretores e demais aspectos ligados à gestão da companhia. Aspectos como equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa são fundamentais para que as empresas tenham um bom nível de governança.

Todas as empresas que fazem parte do IGC pertencem ao Novo Mercado da B3, segmento que abrange as melhores práticas de governança corporativa.

SMLL (Índice Small Cap)

As empresas listadas na bolsa que possuem os menores valores de mercado e volume de negócios são chamadas small caps. Apesar do nome, essas companhias não são pequenas. A denominação é para diferenciá-las das gigantes da bolsa (as blue chips) em relação ao tamanho e volume de títulos negociados no pregão.

Em relação ao porte das small caps, não há uma regra fixa para a sua classificação. Normalmente, considera-se nessa categoria as companhias com até R$ 2 bilhões de capitalização de mercado.

MLCX (Índice MidLarge Cap)

Já o MLCX representa as companhias listadas na bolsa que estão entre as 85% de maior capitalização de mercado.

Outra condição para que as empresas possam fazer parte desse índice é suas ações estarem entre as mais negociadas em 99% dos pregões das três carteiras anteriores.

A exemplo do Ibovespa, o MLCX também exclui de sua base as ações penny stocks e as de empresas em sistema especial de administração (recuperação judicial ou extrajudicial).

ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial)

O ISE contempla as empresas reconhecidas por ações em relação à sustentabilidade empresarial e responsabilidade social.

Para fazer parte desse índice, as ações da companhia devem estar entre as 200 de maior liquidez no pregão da bolsa. Outro requisito que a empresa precisa atender é responder um questionário que a FGV faz e que contempla as seguintes dimensões de sustentabilidade ambiental, social, econômico-financeira, governança corporativa, entre outras.

Atualmente, fazem parte do ISE cerca de 40 empresas listadas na bolsa. A cada ano, entre o final de novembro e início de dezembro, esse índice é revisto, e a quantidade de empresas pode aumentar ou diminuir nessas revisões.

ICO2 (Índice Carbono Eficiente)

Devido à crescente preocupação com o aquecimento global, foi criado o ICO2.

Esse índice considera a transparência das empresas em relação às suas emissões de gases de efeito estufa. Nesse sentido, o objetivo do ICO2 é fazer com que as empresas monitorem e tornem públicas suas políticas de emissões de gases. Outro aspecto considerado pelo índice na seleção das companhias é o total de ações em circulação (free float) de cada uma delas.

IDIV (Índice de Dividendos)

O IDIV é o índice que representa as empresas que se destacam no pagamento de dividendos aos acionistas.

Para que possam fazer parte do índice, as companhias precisam estar entre as 99% mais negociadas nos pregões das três últimas carteiras. Além disso, devem ter tido presença em 95% dos pregões dos últimos seis meses.

Outras exigências para compor o IDIV são estar entre os 33% maiores dividend yield (DY) dos últimos 36 meses e não ter regime de recuperação judicial ou extrajudicial.

ICON (Índice de Consumo)

Esse índice representa as principais companhias da bolsa de setores mito importantes para a economia brasileira: consumo cíclico, não cíclico, educação e saúde.

Assim como ocorre no Ibovespa e no IDIV, o ICON não admite empresas em recuperação judicial, extrajudicial ou outro regime especial de administração.

INDX (Índice do Setor Industrial)

O INDX foi criado pela B3 em parceria com a FIESP (Federação das Indústrias de São Paulo), e o seu objetivo é medir o desempenho das principais indústrias listadas na bolsa.

Para participar do INDX, as empresas devem estar entre os maiores volumes de negociação dcco pregão. Além disso, a ponderação no índice é feita pelo valor de mercado das ações disponíveis para negociação.

Ficou com alguma dúvida?

Agora que você já conhece os principais índices da bolsa brasileira, que tal saber mais sobre o mercado acionário e sobre outros investimentos? Preencha o formulário abaixo, e aguarde o contato da equipe da Terra Investimentos!


Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Investidor analisando índices da bolsa
Blog Terra Investimentos

Posts Relacionados