Blog

Blog >> Fundos de hedge: investimentos que aliam rentabilidade e diversificação

Fundos de hedge: investimentos que aliam rentabilidade e diversificação

Também conhecidos como hedge funds, estes fundos são direcionados a investidores qualificados interessados em retornos mais expressivos 

Todo investidor tem um objetivo muito simples: atingir maior rentabilidade para seu dinheiro. Neste sentido, muitos buscam retornos na renda variável por meio de fundos de hedge, também chamados no inglês, hedge funds.

Esses são grandes nomes da indústria de fundos – alguns dos fundos que melhor performaram nos últimos anos pertencem a essa categoria – buscando estratégias diferentes. Muitos dos gestores mais famosos do mercado financeiro internacional operam fundos do tipo.

O que são os fundos de hedge?

Primeiro vamos entender o que é o conceito de “hedge”, que é uma palavra muito usada no mercado financeiro.

De forma resumida, o hedge é uma estratégia de investimentos que tem como foco proteger o valor de um ativo contra a possibilidade de variações futuras utilizando diferentes estratégias – como long & short, alavancando-se ou derivativos. Isso vale para qualquer ativo, como uma ação, moeda ou outro.

Dessa forma, os hedge funds nasceram com estratégias para minimizar perdas no mercado financeiro ao passo que maximizavam ganhos. Por isso, no mercado de fundos de investimentos, os hedge funds (que também conhecidos como fundos de cobertura) eram conhecidos por proporcionar proteção dos ativos de perdas financeiras ao passo que buscavam retornos elevados, brilhando em épocas de turbulência no mercado.

Um ponto interessante de mencionar é que aqui no Brasil os fundos que aplicam essa estratégia são classificados como fundos multimercados – e há uma infinidade de estratégias diferentes aplicadas pelos diferentes fundos que possuem essa classificação. Não significa de cara que todo fundo multimercado usa “hedge” em suas operações, mas muitos o fazem, usando estratégias cambiais, por exemplo.

Os fundos de hedge têm gestão ativa de gestores e operam com vários ativos e estratégias arrojadas, visando o lucro por meio de diferentes ativos, como ações, títulos privados, opções, swaps, arbitragem, operações de day trade, compra de commodities, entre outros. Ou seja, eles são também um tipo de fundos multimercado, já que operam com vários ativos. Hoje em dia, o termo hedge fund acaba se transformando em um nome genérico para diversos fundos não-tradicionais, já que não há uma categoria específica para este tipo de ativo.

Como funcionam os hedge funds?

Os fundos de hedge podem usar várias estratégias e, por meio do conhecimento de seus gestores, procuram aplicar o dinheiro de forma diversificada, sempre com preferência onde o retorno é mais elevado.

Esse tipo de fundo também pode operar alavancado, ou seja, utilizar recursos que não estão disponíveis no momento para gerar mais rentabilidade. Eles também podem fazer outros tipos de operações mais complexas, as operações estruturadas, como aluguel de ativos e vendas a descoberto.

Assim como os fundos de investimentos tradicionais, os hedge funds funcionam como uma espécie de condomínio. Ou seja, o cotista compra cotas do fundo e, com o dinheiro de vários cotistas, o gestor aplica os recursos em diferentes ativos, de acordo com as regras estipuladas pelo fundo.

Mas apesar de a forma de funcionamento ser parecida, os fundos de hedge limitam-se a investidores qualificados e, normalmente, exigem um grande aporte inicial. Investidores qualificados são aqueles que têm mais de R$ 1 milhão em investimentos.

Outro detalhe é que os hedge funds usualmente exigem que os investidores mantenham seu investimento aplicado por um período determinado, o chamado lock-up. A retirada sistêmica de recursos poderia ocasionar no desmantelamento da estratégia de investimentos do gestor, o que causaria grandes prejuízos ao fundo.

Como descobrir o resultado desses fundos?

A Anbima, Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, criou um índice específico para a indústria de hedge funds: o IHFA (Índice de Hedge Funds Anbima) mostra aos investidores o resultado médio dos fundos de hedge brasileiros mais representativos do segmento.

Para fazer parte do índice, esses produtos devem atender a uma série de critérios bem definidos, por exemplo, cobrar taxa de performance, não ser fundo fechado, entre outros.

Ou seja, é possível usar o IHFA para analisar a performance da sua carteira de investimentos e compará-la com determinados fundos de hedge, por exemplo.

Quais são os custos destes fundos?

Comparado com os fundos tradicionais, os hedge funds normalmente têm taxas mais caras. Isso porque eles prometem maiores retornos.

Geralmente, os fundos de hedge funcionam com o chamado esquema 2 e 20. Ou seja, cobram 2% de taxa de administração e recebem 20% do lucro como taxa de performance.

Essa taxa de desempenho é uma forma de estimular os gestores a alcançar retornos mais altos, além de atrair os melhores profissionais para a gestão. O restante do lucro do fundo é usado para o pagamento de tributos e, depois, distribuído proporcionalmente entre os cotistas.

Mas há alguns fundos que têm taxas diferenciadas, que variam de 1% a 3% de administração e entre 15% a até 30% de taxas de performance.

É importante lembrar que cada fundo tem suas regras próprias e você, como investidor, deve estar sempre atento a elas antes de investir.

Principais características

Para facilitar o entendimento, vamos listar as principais características deste tipo de fundo:

Os fundos de hedge fazem parte da categoria de fundos multimercados;

Podem investir em diferentes tipos de ativos, como ações, títulos públicos, commodities, opções, swaps e usar estratégias como day trade, arbitragem, vendas a descoberto, entre outros;

São fundos com patrimônio grande e alto volume de operações realizadas;

Possuem gestão ativa, ou seja, são administrados por gestores profissionais, responsáveis pela alocação dos recursos;

São fundos que têm maior tolerância a riscos e fazem estratégias mais sofisticadas de investimentos;

Focados para investidores exclusivos e de alta renda;

Têm cobrança de altas taxas de administração e performance. 

Vantagens dos hedge funds

Têm alto potencial de rentabilidade para a carteira de investimentos;

Diversificação da classe de ativos;

Possuem um gestor profissional cuidando do seu dinheiro;

Proteção contra quedas do mercado. 

Desvantagens dos fundos de hedge

Riscos altos por usar estratégias mais sofisticadas como a especulação;

Altas taxas para investir;

Aporte alto inicial, junto com a regra de ser investidor qualificado;

Liquidez limitada, já que esses fundos não são abertos para a maioria dos investidores.

Por fim, vale destacar que os fundos de hedge têm atraído muita atenção por serem uma alternativa diferenciada de investimentos no mercado aliados à possibilidade de altas rentabilidades.

Eles possuem uma alta versatilidade e diversificação que podem fazer sentido para a carteira de investimentos, a depender do perfil do investidor e seus objetivos.

Dúvidas sobre investimentos?

Se você deseja atendimento personalizado para tirar todas as suas dúvidas na hora de investir, vale a pena abrir sua conta gratuitamente na Terra Investimentos pelo site ou app Terra Investimentos Digital.

Contando com nossa assessoria personalizada, fica bem mais fácil identificar os fundos e outros investimentos mais alinhados a seu perfil e objetivos.

#VamosJuntos

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Blog Terra Investimentos

Posts Relacionados