Assine e receba nossos artigos Assinar

A chegada do café no Brasil tem detalhes curiosos que aconteceram até a commodity tornar-se principal produto da economia durante quase um século.

Luiz Monteiro - Mesa Café - Terra Investimentos

Você sabia que a primeira muda de café chegou ao Brasil contrabandeada?

Tudo começou em 1727, quando o Sargento-Mor Francisco de Mello Palheta contrabandeou a primeira muda de café da Guiana Francesa após troca de favores com a esposa do governador de Caiena.

Esta muda foi introduzida na região do Pará e, com o passar dos anos, migrou da região amazônica para outras áreas do Brasil, tornando-se a principal riqueza do país.

Em 1781, o café passou pela região fluminense e começou a ter forte presença na região do vale do rio Paraíba, chegando a São Paulo (maior produtor na década de 1880), Paraná e Minas Gerais, que seguiram desenvolvendo o plantio da rubiácea (café).

Em poucos anos, o café saiu de uma posição de produto secundário para ser o principal produto da economia brasileira durante aproximadamente um século!

Influência do café no desenvolvimento do Brasil

A riqueza oriunda da cafeicultura incentivou o crescimento do país com a construção de fábricas, portos e estradas de ferro para escoar a produção.

Além disto, influenciou a abolição da escravidão, fortaleceu a imigração europeia, alterou fatores sócio-políticos e introduziu a cultura europeia, a qual se refletia na construção de teatros no interior paulista e de mansões na capital pelos conhecidos "Barões do Café".

A História do Café - 1A premiada tela "Café" (1935), que projetou Portinari para o mundo
(Foto: Projeto Portinari/Divulgação)

Guerras, crises econômicas e fatores climáticos sempre foram alguns fatores que influenciaram a cultura cafeeira, tanto que existiram órgãos governamentais de destaque - como o DNC (Departamento Nacional do Café) e IBC (Instituto Brasileiro do Café - extinto em 1990 no Governo Collor) - específicos para administrar o setor, assim como representar o país em acordos internacionais.

Estes podiam atuar como reguladores de oferta e demanda, inclusive determinando a queima de café durante oferta excessiva do produto. Um exemplo disto aconteceu entre 1931 e 1945 com a queima de mais de 70 milhões de sacas - quantidade suficiente na época para suprir três anos de consumo mundial.


A História do Cafe - Foto 3Queima de café para regular preços nos anos 30.

Outro exemplo de momento complicado para o setor foi a geada negra ocorrida em 1975, destruindo praticamente toda a produção do Paraná, o que provocou uma nova onda de migração das lavouras para novas áreas menos suscetíveis à influência de geada como o Cerrado Mineiro.

Em 1922, foi inaugurado o Palácio da Bolsa do Café em Santos (onde hoje está o Museu do Café), justamente para viabilizar a negociação do "antigo vinho da Arábia", conforme contamos no post anterior.


A História do Café  - 2Bolsa de Café em Santos (SP)

No próximo post da nossa série, vamos falar sobre os diferentes tipos de café, entre eles, o café arábica ou robusta. 

Panorama do mercado de café hoje, 19/11/2020

  • Posição dos Fundos na Bolsa de NY passou de 2.602 Contratos de Café Comprados para 304 Contratos de Café Vendidos;
  • Estoque de Café Verde Americano foi divulgado no dia 16/11 com 6.137.128 sacas, redução de 264.937;
  • Furacão Iota provoca tragédias e perdas nos países produtores de café na América Central, em especial Honduras e Nicarágua;
  • Divulgação de possíveis vacinas contra a Covid favorecem mercados, trazendo perspectivas melhores para o consumo;
  • Preços sofrem forte alta na semana vencimento Março21 em NY: saiu de US$ 109,80 (mínima da 2° feira) e atingiu hoje US$ 124,40; na BMF tivemos oscilação entre US$ 122,00 e US$ 134,70 no mesmo período no vencimento Março21.

Conte com a Mesa Agro mais experiente do Brasil

A Terra Investimentos nasceu há mais de 20 anos como uma corretora agro, setor em que logo conquistamos a liderança e, desde então, temos expandido a atuação para diversas frentes de negócios do mercado financeiro e de capitais.

Além de atender aos nossos clientes em todas as suas necessidades no mercado futuro, a Terra Investimentos disponibiliza acesso aos 3 maiores mercados de negociação de café sendo eles: B3 – Brasil (café arábica), ICE EUA (café arábica) e ICE EU (café conilon).

Lembramos ainda que, em momentos de crise e volatilidade, os instrumentos financeiros são importantes para assegurar o melhor valor do seu produto, tanto para o produtor como para o torrefador, exportador e cooperativa.

Precisando de assessoria no mercado de commodities, entre em contato conosco pelo telefone (11) 3165.6000 ou pelo e-mail: agro@terrainvestimentos.com.br

#VamosJuntos



Luiz Fernando Monteiro é responsável pela Mesa Café na Terra Investimentos. Graduado em Administração de Empresas pela Unip e com MBA em Agronegócios pela ESALQ/USP, está no mercado financeiro com foco em commodities desde 2000. Atuou em diversas corretoras e bancos focado nos mercados de café no Brasil, Nova York e Londres, além de ter atuado em operações estruturadas e leilões governamentais.

Comentários

Últimos posts

Terra Investimentos

Sobre a Terra Investimentos

Com duas décadas de história, a Terra Investimentos conquistou a liderança no mercado agro e expandiu sua atuação no mercado financeiro e de capitais.

Atuamos na intermediação, negociação, originação e distribuição de produtos de renda fixa, renda variável, títulos públicos e privados, fundos de investimentos, derivativos, serviços fiduciários, assessoria de investimento, câmbio, seguros e previdência, HFT (High Frequency Trading), entre outros voltados a pessoas físicas e clientes institucionais.

Assine nossa newsletter