Blog

Blog >> Commodities: o que são e como investir nesses ativos

Commodities: o que são e como investir nesses ativos

Seja nas compras do supermercado, na bomba de gasolina ou no simples pãozinho de todo dia, o fato é que as commodities estão presentes no dia a dia de todos nós.

E, recentemente, elas voltaram a ter destaque no mercado financeiro. Primeiro por causa da pandemia, pois a falta de matérias-primas ao redor do mundo encareceu brutalmente o custo de produção das indústrias. Depois, pela guerra entre Rússia e Ucrânia, que jogou o preço do barril de petróleo nas alturas.

Mas afinal, o que são commodities e o que elas têm a ver com tudo isso? Para conhecer melhor esses importantes ativos e saber como se pode ganhar dinheiro com eles, continue a leitura a seguir!

Afinal, o que são commodities?

Traduzida literalmente do inglês, a palavra commodity significa “mercadoria”. Conceitualmente, commodities são materiais em estado bruto ou produtos de baixo valor agregado que passaram por processos mínimos de industrialização.

Esses itens são extremamente importantes para a economia, pois fazem parte do nosso dia. Além disso, são utilizados em diversos tipos de indústrias ao redor do mundo. Por exemplo, a gasolina que utilizamos no carro é uma commodity; itens básicos que compramos no supermercado – como arroz, feijão ou carne – são commodities; o ferro utilizado pela construção civil é uma commodity, e assim por diante.

Características das commodities

Para que um determinado item seja classificado como commodity, é preciso que se enquadre nos quatro requisitos abaixo:

1 – Essencialidade e importância mundial

Como vimos, as commodities estão presentes no dia a dia da população de todo o mundo. Por exemplo, o petróleo – uma das mais conhecidas – é matéria-prima para combustíveis e para vários outros itens essenciais, como plásticos, medicamentos, fertilizantes, e por aí vai. Ou seja, as commodities são essenciais e têm a mesma importância em qualquer lugar do planeta.

2 – Necessidade de padronização

Outra característica de uma commodity é o fato de que o seu preço é definido pelo mercado, e não por quem a produz. Para isso, é preciso que esses itens tenham uma padronização.

Um exemplo ajuda a entender como isso funciona: imagine que, em um determinado período, alguns países produtores de café tiveram problemas na safra e não conseguiram abastecer normalmente o mercado. Com menos café disponível (menor oferta), o preço do item subiu.

Nessa situação, o café subirá no mundo inteiro, e não somente nos países que tiveram problemas na produção. É por isso que se diz que o preço desses itens é definido pelo mercado mundial.

No entanto, para que o café tenha o mesmo preço em todo o mundo, os grãos precisam ter as mesmas características, não importando o lugar de produção. É isso que entendemos por padronização das commodities. Isso garante ao produtor e ao comprador que o grão de café que transacionam no Brasil é exatamente o mesmo negociado nos EUA, por exemplo. em outras palavras, a padronização das commodities é que dá segurança a quem negocia esses itens no mercado.

A maior referência para essas negociações no mundo é a Bolsa de Chicago. Nela, são negociadas as principais commodities e contratos futuros (veremos esse conceito na sequência).

3 – Produção em larga escala

As commodities são sempre produzidas e comercializadas em larga escala. Inclusive, a economia de alguns países é fortemente baseada nesses itens. Alguns exemplos são o Chile (maior produtor de cobre do mundo), Rússia e Arábia Saudita (ambos em segundo lugar na produção de petróleo, atrás dos EUA) e o Brasil, que concentra no agronegócio cerca de 27% da geração de riqueza interna.

4 – Capacidade de estocagem

Na maioria das vezes, uma commodity pode ser estocada sem que sua qualidade seja comprometida. Com exceção de carnes, leite e alguns outros produtos perecíveis, esses itens podem ficar meses, ou mesmo anos estocados (no caso de minérios), sem perder suas características ou qualidade.

Quais os tipos de commodities

Esses itens abrangem uma grande diversidade de matérias-primas e produtos. De forma geral, elas são divididas em quatro grandes grupos:

Commodities agrícolas

Basicamente, aqui entram as matérias-primas da agroindústria e os produtos agrícolas. Alguns exemplos são:

– café;

– soja;

– arroz;

– feijão;

– milho;

– trigo;

– açúcar;

– algodão.

Commodities minerais

Já nessa categoria entram metais e minérios que são extraídos ou produzidos. A indústria de extração de óleo & gás entra nessa categoria também. Alguns dos mais conhecidos são:

– petróleo;

– ouro;

– cobre;

– gás natural.

Commodities ambientais

Como o nome sugere, essas commodities estão relacionadas ao meio ambiente, pois englobam diversos recursos naturais. Algumas das principais são:

– água;

– madeira;

– energia;

– créditos de carbono.

Commodities financeiras

Moedas e títulos públicos de governos (nacional ou estrangeiro) entram nesse grupo. Alguns exemplos:

– real;

– dólar;

– euro;

– libra;

A importância desses itens para a economia brasileira

A economia brasileira é fortemente dependente de commodities, em especial das agrícolas e minerais. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), apenas  balança comercial do agronegócio brasileiro encerrou 2021 com saldo positivo de US$ 105,1 bilhões. O valor representa um aumento de 20% em comparação a 2020.

A China é o principal destino das exportações do agronegócio brasileiro. Em 2021, os embarques para o país somaram US$ 41 bilhões, alta de 20% comparado ao ano anterior.

A seguir, confira algumas das principais commodities brasileiras:

Soja

De acordo com dados da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), a produção de soja brasileira foi a maior do mundo em 2020. Dos 126 milhões de toneladas produzidos, 84 milhões foram embarcados, o que torna o Brasil o maior exportador do grão da atualidade.

Carne bovina

O Brasil tem um dos maiores rebanhos bovinos do mundo. Em junho desse ano, a receita brasileira com exportação de carne bovina alcançou US$ 1,14 bilhão. Essa é a melhor cifra da série histórica, desde 1997, e representa um crescimento de 37% na comparação com junho do ano passado.

Os dados acima, levantados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), foram divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec). Somente no primeiro semestre desse ano, o Brasil exportou carne bovina para 132 países, sendo a China o principal comprador. Na sequência, vêm Estados Unidos e União Europeia.

Minério de ferro e seus concentrados

Em 2021, o minério de ferro foi o principal produto exportado pelo Brasil, chegando a ultrapassar até mesmo a soja. No ano passado, a commodity representou 16% da pauta de exportações brasileira, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Novamente aqui, a China foi o nosso maior importador de minério de ferro. Inclusive, o país bateu o recorde de compras brasileiras, que alcançaram US$ 44,6 bilhões no ano passado.

Petróleo (óleos brutos e combustíveis)

O petróleo – em estado natural ou refinado – também vem se destacando na pauta de exportações brasileira. Em 2021, os óleos brutos alcançaram receita de US$ 30 milhões no mercado externo, batendo seu próprio recorde. Já os óleos combustíveis geraram receita de US$ 7 bilhões, ocupando a sétima posição no ranking das exportações brasileiras.

No caso dos óleos brutos, a China é o destino de quase metade de nossas exportações. Já nos óleos combustíveis, a exportação é mais pulverizada, liderada pelos EUA.

Como investir em commodities

Por tudo o que vimos até agora, deu para perceber o quão rentáveis podem ser as commodities, certo?

Pois saiba que você também pode ganhar quando os preços desses ativos estão em alta. Para isso, não é preciso adquirir os ativos físicos, pois existem investimentos atrelados a diversos tipos de commodities, e é isso o que veremos a seguir.

Ações de empresas de commodities

Na bolsa brasileira, existem ações de diversas empresas de commodities. Alguns dos nomes mais conhecidos e respectivos segmentos são os seguintes:

Segmento Empresa
Petróleo, gás e combustíveis Petrobras (PETR3/PETR4), PetroRio (PRIO3), PetroReconcavo (RECV3), COSAN(CSAN3), Enauta (ENAT3)
Agrícolas SLC Agrícola (SLCE3), Camil (CAML3), Boa Safra (SOJA3), Três Tentos (TTEN3)
Proteína animal JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3), Minerva Foods (BEEF3), BRF (BRFS3)
Mineração, metalurgia e siderurgia Gerdau (GGBR3/GGBR4), Vale (VALE3), Cia Siderúrgica Nacional (CSNA3), Usiminas (USIM5), Cia Brasileira de Alumínio (CBAV3), Ferbasa (FESA3/FESA4)
Papel e celulose Klabin (KLBN11), Suzano (SUZB3), Celulose Irani (RANI3)

(Fonte: B3)

Mas não esqueça: para escolher uma boa ação, são necessários bons conhecimentos técnicos e macroeconômicos. Nesse sentido, a análise fundamentalista é uma excelente ferramenta para lhe auxiliar a selecionar bons papeis para a sua carteira visando o longo prazo.

BDRs de empresas de commodities

Também é possível investir em commodities e ter diversificação internacional ao mesmo tempo. Para isso, você pode adquirir BDRs (Brazilian Depositary Receipts) de empresas estrangeiras que atuam em setores como petróleo, mineração, siderurgia, entre outros.

Os BDRs são títulos que representam ações de companhias estrangeiras, mas que são negociados na nossa bolsa de valores. Logo, para adquirir um BDR, você não precisa ter conta no exterior. Ao investir nesses títulos, indiretamente você se torna sócio de uma gigante internacional.

Confira alguns dos BDRs ligados a commodities disponíveis na B3:

Segmento Empresa
Petróleo e gás natural Chevron (CHVX34), ExxonMobil (EXXO34), Occidental Petroleum (OXYP34), Royal Dutch Shell (RDSA34), CoconoPhillips (COPH34), PetroChina (PTCH34)
Mineração Rio Tinto (RIOT34), Freeport-McMoRan (FCXO34)
Metais Aura Minerals (AURA33), AngloGold (AUIA34)
Siderurgia Ternium (TXSA34)

(Fonte: B3)

ETFs de commodities

Outra forma de investir em commodities é por meio de ETFs (Exchange Traded Funds). Basicamente, esse investimento visa replicar o desempenho de um indicador ou ativo financeiro do mercado. No caso dos ETFs de commodities, eles estão atrelados a índices que representam matérias-primas desse setor.

Uma das vantagens de investir nesses fundos é a diversificação que proporcionam de forma fácil e acessível. Atualmente, alguns dos ETFs disponíveis na bolsa brasileira são os seguintes:

ETF Benchmark Taxa de administração
MATB11 Índice de Materiais Básicos (IMAT) 0,50%
CMDB11 Índice Treva Ações Commodities Brasil 0,50%
GOLD11 Índice LBMA Gold Price 0,30%

(Fonte: B3)

Dos ETFs acima, somente o GOLD11 investe diretamente em uma commodity (no caso, o ouro). Os outros dois investem em empresas que atuam na exploração de matérias-primas.

Contratos futuros

Entre as três formas de investir em commodities que vimos aqui, os contratos futuros são a mais complexa. Isso porque eles são uma espécie de derivativo, um instrumento mais sofisticado do mercado financeiro.

Os contratos futuros de commodities são mais utilizados por quem busca proteção (hedge) para esses ativos. No entanto, investidores que não têm vínculo com atividades que envolvam esses ativos também podem lucrar com esse tipo de operação.

De forma simplificada, esses investidores podem negociar entre si esses contratos de acordo com a variação de preços. Nesse sentido, se o investidor acha que o preço de determinada commodity vai subir, ele compra um contrato futuro vinculado ao ativo. Se ele estiver certo, terá lucro com a variação de preço no vencimento da operação.

Outro ponto a considerar é que muitos contratos futuros permitem alavancagem. Isso significa que o investidor pode operar valores acima dos que possui na corretora, mediante uma margem de garantia. Logo, essa pode ser uma forma de lucrar sem necessariamente investir muito capital.

Quero investir em commodities. Por onde começar?

Se, depois de ler todo esse conteúdo, você está pensando em aproveitar o potencial desses ativos para diversificar e rentabilizar o seu patrimônio, o primeiro passo é abrir conta em uma corretora de investimentos.

Com mais de 20 anos de história e DNA agro, a Terra Investimentos é uma das corretoras líderes na intermediação de contratos futuros do mercado agropecuário. Além disso, possui um time especializado que pode lhe orientar também em outras alternativas de investimentos.

Nossas carteiras recomendadas também são uma excelente opção para você diversificar seu patrimônio com a segurança de uma orientação profissional. Que tal conhecer melhor os serviços da Terra? É só preencher o formulário abaixo e aguardar o contato de nossos especialistas!


Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Blog Terra Investimentos

Posts Relacionados

Como operar milho na Bolsa

Por ser a commodity com maior liquidez na B3, o milho atrai quem deseja lucrar no curto prazo. Saiba como operar contratos de milho.