Blog

Blog >> Fundos multimercados: vale a pena investir?

Fundos multimercados: vale a pena investir?

Categoria que permite diversificação de forma fácil, os fundos multimercados possuem uma enorme gama de estratégias e graus de risco.

Uma das categorias de fundos de investimentos mais populares são os fundos multimercados. Eles possuem diversas opções tanto em renda fixa quanto em renda variável e, por isso, servem a uma gama variada de objetivos para o investidor.

Como estes tipos de ativos podem ter estratégias diferentes, eles funcionam como forma de diversificação da carteira dentro do mercado financeiro. Como há um gestor profissional por traz, fica a cargo dele encontrar os melhores e retirar os piores ativos de dentro do fundo.

Mas será que os fundos multimercados fazem sentido para você?

O que são fundos multimercados?

pessoa mexendo no tablet e gráficos

Primeiro vamos entender bem o conceito e as características destes tipos de fundo.

É importante que você saiba que os fundos multimercados têm políticas de investimento que envolvem vários fatores de risco, já que eles podem investir em ativos de variados mercados, como renda fixa, câmbio, ações, e utilizar derivativos tanto para alavancagem quanto para proteger a carteira do investidor.

Estes tipos de fundos têm maior liberdade de gestão e, de forma geral, buscam rendimentos mais elevados. Ou seja, é por isso também que eles podem ser mais arriscados que outras classes de fundos.

Cada fundo possui um regulamento e é nele que vai constar como o gestor deve investir. Ou seja, se for um fundo multimercado mais focado em renda variável, por exemplo, deve haver um percentual mínimo para aplicação nesta categoria. Assim, você consegue identificar melhor os riscos antes de investir.

Por isso, os fundos multimercados são indicados não só para quem quer diversificar a carteira, mas também para quem tolera um risco maior na expectativa de obter rentabilidades mais altas.

Quais são os tipos de fundos multimercados?

Como cada fundo multimercado adota estratégias diferentes de gestão foram criadas subcategorias para que o investidor possa reconhecer melhor os ativos. Eles são classificados de acordo com a estratégia ou forma de alocação de ativos.

A classificação é feita pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Confira a seguir os fundos da subcategoria alocação e os fundos da subcategoria estratégia.

Grupo de fundos de alocação

São fundos que buscam retorno no longo prazo por meio de investimento em várias classes de ativos (renda fixa, ações, câmbio etc.), incluindo cotas de fundos de investimento. Eles têm como objetivos retorno de longo prazo, com prioridade da estratégia de asset allocation (alocação de investimentos).

Fundos balanceados. Eles buscam retornos no longo prazo por meio da compra de diversas classes de ativos, incluindo cotas de fundos. A estratégia de alocação pré-determinada deve especificar o mix de investimentos nas diversas classes de ativos, incluindo deslocamentos táticos e/ou políticas de rebalanceamento. Mas estes fundos não admitem alavancagem, ou seja, investimentos maiores do que o patrimônio do fundo.

Fundos dinâmicos. Este tipo de fundo também tem uma estratégia de diversificação em variadas classes de ativos. Mas eles não ficam comprometidos com um mix pré-determinados de ativos. Assim, a política de alocação dos recursos é flexível e o gestor pode reagir de acordo com as condições de mercado e o horizonte de investimento para efetuar alterações de ativos do fundo. Ao contrário do balanceado, os fundos dinâmicos permitem alavancagem.

Grupo de fundos de estratégia

Macro. São fundos multimercados em que os gestores realizam operações em diversas classes de ativos (renda fixa, renda variável, câmbio etc.), definindo as estratégias de investimento baseadas em cenários macroeconômicos de médio e longo prazos.

Trading. Diferente da estratégia macro, os fundos trading buscam obter ganhos aproveitando oscilações de preços no curto prazo. Também podem usar diversas classes de ativos.

Long & Short. Este tipo de fundo multimercado utiliza duas estratégias conhecidas do mercado. Operar comprado (long) é quando você compra uma ação e, quando ela subir de preço, você ganha. Por outro lado, operar vendido (short) é quando você usa um dinheiro ou ativo que não é seu para fazer uma operação e tentar obter lucro, como o aluguel de ações. Assim, estes tipos de fundos multimercados estão ligados a operações de ativos e derivativos do mercado de renda variável, em que o gestor monta posições compradas e vendidas.

Juros e moedas. São fundos que visam obter ganhos no longo prazo por meio do investimento em moedas e ativos atrelados a juros e inflação. Mas eles não investe em renda variável, como ações.

Livre. Estes fundos multimercados investem seus recursos sem compromisso de concentração. Ou seja, podem comprar e vender livremente diversas classes de ativos e usar qualquer uma das estratégias abordadas acima.

Capital protegido. São fundos multimercados que têm como foco retornos em mercados de risco procurando proteger, parcial ou totalmente, o principal investido.

Estratégia específica. Estes fundos operam com estratégias de investimentos que possuem riscos específicos, tais como commodities, futuro de índice, entre outros.

Vale a pena investir em fundos multimercados?

Se você procura diversificar sua carteira os fundos multimercados podem ser uma boa opção. Como vimos, eles têm a possibilidade de investir em ativos de variadas classes, com estratégias distintas e prazos mais curtos ou mais longos, dando margem a mais rentabilidades e também a diferentes graus de risco.

Como eles possuem características bem distintas entre si, você deve analisar bem cada um deles e verificar se fazem sentido dentro da sua estratégia de investimentos e também olhando para a sua carteira.

A grande vantagem dos fundos multimercados para o investidor é poder, em um único produto, ter acesso a várias classes de ativos de forma estratégica e diversificada e ainda contar com um gestor para movimentar a carteira. Mas claro que isso não é garantia de sucesso do fundo. Tome cuidado, pois há muitos fundos multimercados por aí que cobram altas taxas e que, ao invés de beneficiar você, investidor, podem acabar dando prejuízo.

Aí vamos algumas dicas práticas para você definir se um fundo multimercado é para você!

•  Estude bem as características do fundo, em que classes de ativos ele investe, qual é o grau de risco e as rentabilidades passadas.

•  Avalie também o gestor do fundo. Pesquise o histórico dele no fundo e em outros investimentos.

•  Identifique as taxas e tributação que você vai operar. É comum haver incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e Imposto de Renda. Mas dedique atenção especial às taxas de administração e de performance.

•  Verifique se a estratégia do fundo realmente faz sentido de acordo com o seu perfil de investidor e também de acordo com os ativos que você já tem em carteira.

Mas se você ficar com dúvidas ou quiser ajuda para encontrar os melhores fundos multimercados a equipe da Terra Investimentos pode te ajudar!


#VamosJuntos

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

Homem tocando no gráfico com a caneta
Blog Terra Investimentos

Posts Relacionados